Como fazer mochilão com pouco dinheiro? Veja aqui!

Quer fazer uma viagem, mas o orçamento está baixo? O mochilão pode ser a alternativa para você! Veja as melhores dicas para viajar sem gastar muito e ter experiências inesquecíveis!

Há quem diga que “mochileiro” é um estilo de vida e há quem opte por esse tipo de viagem apenas porque não tem grana para fazer uma mais luxuosa. 

Seja como for, essa é uma excelente maneira de conhecer o mundo gastando pouco e viver experiências que dinheiro nenhum pode pagar.

Por isso, se você não sabe como fazer mochilão com pouco dinheiro, este post foi feito para você! Selecionamos algumas dicas para ajudar você a viajar mais, gastando menos, veja só!

O que é mochilão e por que fazer um?

Mochilão quer dizer colocar a mochila nas costas e desbravar o mundo! 

Brincadeiras à parte, fazer um mochilão é uma expressão que significa viajar por conta própria de um jeito mais barato. 

Ou seja, viajar levando apenas coisas úteis na mochila, gastar o mínimo possível e viver sua viagem do jeito simples e comum, sem muito luxo. 

Conhecido por “backpacking” em outros países (backpack significa mochila), esse tipo de viagem costuma atrair pessoas mais jovens. Entretanto, não se tem idade para fazer um mochilão, não! Basta ter disposição e energia para conhecer pessoas, lugares, culturas e paisagens sem gastar muito, é claro!

Por que fazer mochilão?

Se você quer sair do tradicional e viver uma aventura, o mochilão é a opção perfeita. Diferente de uma viagem ‘normal’ com hotéis chiques, restaurantes estrelados e  somente pontos turísticos famosos, o mochileiro quer viver experiências. Seu objetivo não é ter luxo e sim conhecer lugares e culturas de forma imersiva e real.

Quais são os tipos de mochilão?

Quando se fala de mochilão é comum as pessoas pensarem em uma viagem mais longa e cheia de perrengues. Mas existem vários tipos de mochilões e você pode encontrar o que mais funciona para você.

Mochilão clássico

Como já diz o nome, essa é a forma mais tradicional do mochilão. Se trata de uma viagem mais longa, que pode durar meses, e que passa por vários destinos. Por isso, o ponto de partida é um e o de término é outro. 

Mais comum entre os jovens e pessoas que tiram um ano sabático, esse tipo de mochilão não tem um roteiro bem definido e os mochileiros vivem experiências únicas e sem muito glamour nos destinos escolhidos. 

Mochilão de curta duração

Sim, existe um mochilão de curta duração! Normalmente ele dura de 15 a 90 dias e é feita em época de férias ou depois da formatura. 

A única diferença entre o de curta duração e o clássico é o tempo, pois ambos visitam vários destinos.

Mochilão de um destino

Diferente dos demais, o mochilão de um destino não passa por diversos lugares.. Mas a característica principal segue comum entre eles e o objetivo continua sendo fazer uma viagem econômica e aproveitar experiências imersivas sem muito luxo.

Quais são os tipos de mochileiros?

Se você acha que o mochileiro raiz é aquele que só viaja de carona ou dorme no aeroporto, está enganado! Há vários tipos de pessoas que fazem mochilão, confira os perfis!

Mochileiros raiz

São aqueles que fazem mochilão com muito pouco dinheiro e mantêm na viagem atividades autônomas, como: venda de artesanato, apresentações artísticas e outras.

Mochileiros que trabalham durante a viagem

Podem ser trabalhos temporários, permuta, troca de mão de obra por hospedagem e alimentação ou trabalho home office.

Esse tipo de mochileiro, também conhecidos como nômades digitais, são aqueles que conseguem levar seu trabalho junto e manter a sua fonte de renda para se sustentar na viagem.

Mochileiros que trabalham antes de viajar e depois só curtem a viagem

Sim, esses mochileiros são aqueles que trabalham para juntar dinheiro e conseguir viajar. Pode ser um período longo, como um ano sabático, ou só durante o período de férias mesmo.

Mochileiros com dinheiro 

Esse também é um tipo de mochileiro! Eles possuem uma condição financeira confortável, tempo livre, conseguem se afastar do trabalho com facilidade e se aventuram por aí procurando novas experiências. 

Como se planejar para um mochilão com pouco dinheiro?

O fator principal que vai ajudar a economizar em qualquer viagem é a antecedência. É importante começar a se planejar pelo menos de três a seis meses  antes da viagem, dependendo do destino. 

Fazendo isso, você consegue pesquisar com calma, acompanhar preços e escolher entre diversas opções de voos, hospedagens e tudo mais.

Deixando para a última hora você acaba pagando mais caro por opções não tão boas, já que as melhores vão sendo reservadas ao longo do tempo. 

Além disso, a antecedência ajuda você a montar um roteiro mais econômico, pois é possível se programar para visitar atrações em seus dias gratuitos, por exemplo.

Ou seja, quando se planeja com antecedência as chances de dar algo errado são menores e você vai estar 100% preparado para o seu mochilão ser tranquilo e prazeroso.

Quais documentos devem ser levados no mochilão?

A documentação é uma parte muito importante da viagem, pois sem ela você não vai a lugar algum. 

Por isso, se o seu mochilão for internacional, você precisará levar: 

  • Passaporte válido;
  • Visto (caso seu destino exija); 
  • Seguro viagem; 
  • Certificado internacional de vacinação contra covid-19 e outras vacinas exigidas pelo seu destino;
  • Comprovante de reserva de hospedagem;
  • Passagem de volta para o Brasil; 
  • Comprovante de que você possui dinheiro suficiente para se manter durante a sua estadia no país.

Vale lembrar que essa documentação é generalizada. Cada destino e país tem seus critérios de entrada e visitação, por isso, verifique isso com atenção antes de viajar para não ter nenhum contratempo.

Agora, se seu destino for dentro do Brasil, você deve levar:

  • Seus documentos como RG ou Carteira de habilitação;
  • Seguro Viagem;
  • Certificado de vacinação contra covid-19.

Como fazer mochilão com roteiro?

Primeiramente, você deve ter como norte o orçamento que você pode gastar e quanto você consegue juntar até a data da viagem.

Esse planejamento financeiro é o start do roteiro, pois é a partir dele que você irá definir o local, a hospedagem, alimentação e passeios. 

Outro ponto a se levar em consideração é o tempo de permanência, pois ele dependerá da sua disponibilidade e do quanto de dinheiro você tem ou da sua capacidade de fazer renda durante a viagem.

Ou seja, a partir disso, você define a quantidade máxima que poderá ser usada com cada gasto e pode seguir para a definição do seu roteiro.

Como montar uma mala eficiente? 

Se você pensa em fazer um mochilão e carregar seu guarda-roupas inteiro, esquece! O ideal é a mochila ter até 50 litros. 

O tipo de mochilão e o seu perfil de viajante é que vão determinar o que é essencial para você. Até porque, não faz sentido nenhum levar uma barraca se você vai ficar em um hostel, por exemplo. 

Ao invés da toalha de banho normal, leve uma toalha de acampamento. As roupas devem ser pensadas com cuidado, pois se no destino fizer frio, você terá que ocupar espaço com casacos.

Vale lembrar também que você pode lavar as roupas durante a viagem ou comprar alguma coisa se for preciso.

Por isso, o ideal para se ter uma mochila leve, versátil e confortável é dar espaço apenas para o que é essencial. Deixe tudo que não for fundamental em casa.

Fazer um mochilão é uma verdadeira experiência de desapego, que no começo pode assustar, mas no final dá certo. 

Agora se você acha que não é capaz de viajar com pouca coisa, esse realmente não é o estilo de viagem mais indicado para você!

Como economizar em um mochilão?

Bom, agora que você sabe do que precisa para fazer um mochilão, separamos algumas dicas de como economizar na viagem. 

Confira!

1. Escolha destinos mais baratos

É claro que, se você sonha em visitar um local que tenha um custo elevado, não é preciso desistir de conhecê-lo, já que é possível economizar de outras formas. 

Mas se você ainda não escolheu o destino ou está em dúvida em relação ao roteiro, o ideal é escolher entre lugares mais baratos. Assim você consegue viajar mais e gastar menos.

Na América do Sul, por exemplo, existem diversos países incríveis, cheios de atrações, muita beleza natural e preços bem baixos. 

Outra opção surpreendente e bastante econômica é a Ásia, principalmente o sudeste asiático. Até mesmo dentro do Brasil você consegue fazer um mochilão econômico se souber se planejar bem!

2. Pesquise passagens baratas

As passagens aéreas geralmente são os maiores gastos de uma viagem, principalmente em um mochilão. Mas a boa notícia é que também é possível economizar! 

Buscando com antecedência, você pode fazer comparações e acompanhar os valores até encontrar as melhores tarifas. E, claro, sempre há chances de encontrar promoções relâmpago!

Outra opção é comprar passagens utilizando milhas, o que pode garantir uma bela economia! E, se você não tiver milhas, não se preocupe: você pode emitir suas passagens usando os pontos de outras pessoas, por meio de sites especializados. O valor quase sempre fica muito mais atrativo!

Ainda, dependendo dos destinos de seu mochilão, você pode contar com companhias aéreas low cost. 

Elas não oferecem serviços como lanches ou a possibilidade de despachar bagagens gratuitamente, mas, em compensação, os preços são bem baixos quando a compra é feita com antecedência, é claro.

3. Analise as formas de pagamento

Se você estiver indo para o exterior, provavelmente terá que comprar moeda estrangeira. Antes de decidir qual moeda comprar ou como levar seu dinheiro para o exterior, é fundamental verificar todas as possibilidades, e talvez você nem precise fazer nada.

Nas grandes cidades da América do Sul, por exemplo, o real é uma moeda muito bem-aceita e geralmente vale mais a pena do que o dólar ou a moeda local.

Além disso, em alguns países compensa fazer o pagamento no cartão de crédito, pois eles oferecem um bom desconto nesse caso, fazendo com que valha a pena pagar o IOF.

Essas e outras situações devem ser analisadas para que você possa chegar a uma conclusão antes de trocar todo seu dinheiro. 

E, claro, se concluir que realmente será preciso fazer o câmbio, pesquise o preço em vários locais diferentes, acompanhe a variação da moeda e tente economizar um pouco.

4. Hospede-se em hostels ou compre um pacote que venha com hotel incluso 

Os hostels — também conhecidos como albergues — são o tipo de hospedagem favorito dos mochileiros. 

Além de serem muito mais econômicos que os hotéis, eles ainda oferecem a possibilidade de conhecer muitos outros viajantes, fazer amizades e arrumar companhia para passear ou curtir a noite.

Eles são mais baratos pois não oferecem os luxos de um hotel. Na maioria dos casos não há café da manhã ou uma camareira para arrumar sua cama. E, claro, ficando em um quarto compartilhado o preço será muito menor.

Mas caso você não se sinta à vontade para dormir no mesmo ambiente que outras pessoas desconhecidas, saiba que muitos hostels têm quartos privativos, que custam um pouco mais que os compartilhados, mas ainda permitem economizar bastante!

Outra vantagem é que esse tipo de hospedagem geralmente tem cozinha aberta para os hóspedes, assim você pode cozinhar suas refeições em vez de comer fora, gastando ainda menos dinheiro.

Entretanto, tem outra maneira de economizar e ficar em um hotel! Há pacotes de viagens que incluem a passagem e o hotel com um valor muito próximo ao de compras que incluem somente a passagem aérea.

Aqui na MaxMilhas nós oferecemos esses tipos de pacotes e garantimos descontos que valem a pena. Dá só uma olhada!

5. Almoce o menu do dia

Falando em alimentação, caso você não saiba ou não queira cozinhar, uma excelente opção é o “menu do dia” que é oferecido por muitos restaurantes no exterior. 

Geralmente, na hora do almoço, é possível pagar um valor fechado por um prato selecionado pelo restaurante e uma sobremesa específicos para aquele dia, como os famosos PF do Brasil.

Essa combinação fica mais barata do que escolher outras opções no cardápio. E o melhor é que o menu do dia costuma ser modificado diariamente, permitindo que você coma várias vezes no mesmo restaurante sem enjoar da comida.

Outra maneira de economizar com alimentação é fugir dos restaurantes mais turísticos ou que estejam próximos das atrações mais populares do destino. 

Converse com moradores da cidade e descubra onde eles costumam comer, pois esses locais, com certeza, serão mais baratos e, provavelmente, muito gostosos!

6. Visite atrações gratuitas

Toda cidade tem atrações gratuitas, como parques, praças, praias, monumentos etc. Mas, além disso, a maioria das atrações pagas oferecem entrada gratuita em determinados momentos, podendo ser um horário específico no dia, um dia da semana ou até um único dia do mês.

Se você conseguir se programar para visitar essas atrações nos dias em que não é preciso pagar, a economia será muito grande e você poderá usar esse dinheiro para aproveitar a viagem de outras formas. 

Então, quando estiver montando seu roteiro, já selecione os locais que quer conhecer e descubra os dias em que a visitação é livre!

Lembre-se de que ninguém precisa ser rico para viajar. Quem sabe se planejar e conhece formas de economizar durante a viagem pode conhecer o mundo inteiro sem passar por apertos!

Quais os destinos econômicos para um mochilão? 

Quer fazer um mochilão, mas não tem ideia para onde ir? A gente te ajuda! Separamos os principais destinos no Brasil e no mundo para viajar sem gastar muito.

1. La Paz, Bolívia

Como dissemos, os destinos na América Latina são os mais baratos. Por isso, a capital boliviana está nessa lista e é cobiçada por mochileiros do mundo todo.

Pois, a partir de La Paz é possível conhecer alguns lugares famosos dos Andes, como o Salar de Uyuni e a Laguna Verde. Além disso, o destino te dá a oportunidade de viajar para países vizinhos sem gastar muito.

2. Bucareste, Romênia

Bucareste chama atenção pelos bons preços e estadias super em conta. Além disso, a cidade é linda, com castelos e edifícios históricos. Destino perfeito para quem gosta de história, cultura e de reviver o mundo passado.

Como La Paz, Bucareste também é um ponto de partida para os arredores do país e da Europa.


    Leia também: Dicas de viagem pelo Leste Europeu

    3. Chiang Mai, Tailândia

    A segunda maior cidade da Tailândia é um dos destinos mais escolhidos pelos mochileiros. Chiang Mai é conhecida por seus mais de 300 templos, passeios de elefante e compras no night bazaar. 

    A viagem para a cidade é uma verdadeira experiência, pois a cultura é bem diferente da nossa.

      4. Lisboa, Portugal

      Lisboa é um porto de partida incrível para um mochilão pela Europa. Lá, além da facilidade do idioma, você terá a oportunidade de conhecer uma cidade que mistura elementos modernos com um clima histórico bem conservado. 

      A capital portuguesa possui um charme diferente a cada esquina e é cheia de pontos turísticos, atividades culturais e restaurantes de comida típica portuguesa, além de uma arquitetura indescritível.

      5. Cidades históricas de Minas Gerais

      Se você quer fazer um mochilão pelo Brasil, as cidades históricas de Minas Gerais são o destino perfeito. Andando por Ouro Preto, Mariana, Diamantina, Tiradentes, São João del Rei e outras cidades é possível viajar no tempo. 

      Você verá ruas de ladrilho, construções barrocas, as belezas das montanhas mineiras e claro, se refrescar nas cachoeiras espalhadas pela região.

      Além de toda riqueza histórica, a receptividade dos mineiros também encanta. 

      Agora que você já sabe como fazer um mochilão com pouco dinheiro, basta começar a planejar sua viagem, de acordo com seu perfil mochileiro!

      E, na hora de buscar por hospedagem e passagem baratas, procure na MaxMilhas!

      Deixe um Comentário