Turismo acessível: as melhores cidades para pessoas com deficiência

Você sabia que há várias cidades prontas para receber turistas com deficiência? O turismo acessível tem cada vez mais se tornado uma prioridade e as cidades estão buscando se adequar para que todas as pessoas possam passear de forma digna.

Viajar é, sem dúvida, uma experiência incrível: conhecer novos lugares, renovar amizades e aumentar a bagagem cultural são apenas alguns dos benefícios. Por outro lado, nem todos os destinos possuem condições adequadas para pessoas com deficiência (PCD) ou com mobilidade reduzida.

Por isso, algumas cidades têm implementado projetos para se tornarem mais acessíveis. Essas mudanças proporcionam condições mais adequadas para que todos os viajantes possam aproveitar tudo que o turismo oferece.

Quer saber quais são esses destinos que estão cada vez mais preparados para receber pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida? A gente montou um guia completo com as principais características sobre o turismo acessível e quais as cidades no Brasil e no mundo com acessibilidade. Vem com a gente conferir!

 

O que é turismo acessível?

De acordo com o Ministério do Turismo, “o Programa Turismo Acessível se constitui em um conjunto de ações para promover a inclusão social e o acesso de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida à atividade turística com segurança e autonomia”.

Em outras palavras, esse tipo de turismo busca estabelecer medidas pensadas para as diferentes necessidades e níveis de deficiência. Por isso, é muito importante conhecer cada uma delas: 

  • Nível mental: afeta as atividades linguísticas, cognitivas e perceptivas;
  • Nível motor: incapacidade ou dificuldade motora e física;
  • Nível auditivo: deficiência total ou parcial na audição;
  • Nível da visão: baixa visão ou cegueira.

A partir dessas definições, o Ministério do Turismo definiu a cartilha do turismo acessível, que estabelece diretrizes de acessibilidade para as cidades. A verdade é que todos os viajantes se beneficiam quando um destino é acessível, mas principalmente para PCD, grávidas, obesos, pessoas com mobilidade reduzida e idosos, essas mudanças são fundamentais.

A principal premissa do Turismo Acessível é a de que todos devem ter acesso às atividades turísticas e tudo que as envolve, independentemente do corpo no qual a pessoa habita.

 

Quais os principais direitos da pessoa com deficiência?

Homem negro cego de óculos escuros, cão-guia e guia

Para tornar as cidades acessíveis e garantir a inclusão de todos, o Ministério do Turismo, baseado no Manifesto pelo Lazer Inclusivo, criou, em 2006, o Manual de Orientações de Turismo e Acessibilidade. O Manual dá orientações para guiar a construção de destinos com maior acessibilidade e bom atendimento de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

As primeiras medidas devem incluir atendimento prioritário, sinalização clara em lugar visível e disponível também em libras. A entrada e permanência de cão-guia também deve ser autorizada. Os funcionários devem receber treinamento para o atendimento adequado aos turistas. Além disso, o mobiliário da recepção deve ser adaptado para ser de fácil acesso para pessoas com deficiência.

A disposição dos móveis do quarto é outro fator que precisa de atenção. Ela deve permitir que haja espaço para a circulação da cadeira de rodas. As maçanetas devem ter o formato de alavanca e um espaço de 60 cm para que o cadeirante consiga atender à porta.

Da mesma maneira, os banheiros devem ter cabines adaptadas e o sanitário na parede menor. As barras de apoio devem estar próximas ao vaso. As pias, suspensas a 80 cm do piso e os espelhos inclinados.

As agências de turismo oferecem pacotes de viagem conforme as necessidades de cada pessoa. As medidas envolvem, como exemplos, atendimento em Centro de Informações Turísticas em Libras e guias com habilidade para acompanhar o deficiente visual.

Quanto à infraestrutura pública, a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) determina regras de adaptação dos pontos turísticos. O objetivo é facilitar o acesso do visitante aos monumentos, espaços públicos, museus e parques.

É sempre bom lembrar que é direito das pessoas com deficiência participar da vida cultural, assim como de todas as outras pessoas. Isso inclui ter acesso aos pontos turísticos, eventos, monumentos e espaços importantes para a cultura de uma cidade.

 

Como escolher o destino ideal?

Escolher o melhor destino nem sempre é fácil, e quando as cidades não se preparam para receber todos os públicos pode ser ainda mais difícil! Nesse momento o mais importante é observar o quão adaptada aquela cidade está. Alguns pontos a serem considerados são a infraestrutura, conforme a necessidade de cada um, o preparo dos profissionais e possibilidade de atendimento.

Anualmente, diversas organizações de pessoas com deficiência organizam premiações para os destinos que mais investem em acessibilidade. Um dos exemplos é o Access City Award, que é um excelente guia das cidades europeias mais amigáveis para PCD. 

Outra forma de escolher é observando as descrições dos meios de hospedagem, que precisam apontar quando têm quartos adaptados, elevadores e outros facilitadores no atendimento para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

E para tornar esse processo ainda mais fácil, preparamos uma lista com algumas das cidades mais acessíveis do Brasil e do mundo. Vem ver quais são!

 

1. Bonito

Mulher nanando com boia e cachoeira ao fundo

Bonito, Mato Grosso

O turismo de aventura e ecoturismo para pessoas com deficiência ainda é um grande desafio. São poucos destinos realmente adaptados que conseguem atender esse público, mas Bonito, um dos destinos mais amados da MaxExperiências, é um dos que seguem o caminho certo! 

Calçadas largas, rampas, pisos antiderrapantes e faixas sinalizadas são algumas das adaptações feitas para incluir os visitantes. 

As aventuras em rios, descidas de correntezas e rapel também são seguras para as mais diferentes pessoas. Além disso, todas as atividades são guiadas e todo mundo tem apoio para realizá-las.

2. Brasília

Paisagem de Brasília com o congresso no pôr do sol

Brasília, Distrito Federal

A capital brasileira se tornou uma das cidades mais acessíveis do país depois de passar por diversas obras. Agora, os principais pontos turísticos da cidade contam com calçadas e rampas adequadas para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. 

Além disso, as sinalizações e comunicação de lugares imperdíveis, como a Catedral Metropolitana da cidade, também foram adaptadas para atender a todos.

3. Curitiba

Estufa do Jardim botânico de curitiba durante o dia com céu azul

Jardim Botânico de Curitiba, Paraná

Uma das cidades brasileiras que são referência em turismo acessível é Curitiba

O sistema de transporte opera com mais de 90% de acessibilidade, com elevadores, placas em braile e sinais luminosos. Os dois últimos são dispositivos que orientam as pessoas com deficiências visuais ou auditivas. 

E essas adaptações foram feitas em todos os grandes pontos turísticos da cidade, como o Jardim Botânico e o Museu Oscar Niemeyer.

4. Fortaleza

Estátua de bronze na praia

Fortaleza, Ceará

A capital cearense também é uma cidade de turismo acessível. Curtir um banho de mar já é possível ao turista que precisa de auxílio para caminhar. Isso por conta do projeto “Praia Acessível”, com cadeiras anfíbias e esteiras para o transporte dos que precisam de mobilidade assistida.

O mais bacana é a inclusão da programação dos jogos de frescobol e vôlei adaptado. No calçadão, há rampas, banheiros e academia ao ar livre com exercícios para cadeirantes.

5. Foz do Iguaçu

Cataratas e pessoas em uma ponte observando.

Foz do Iguaçu, Paraná

Na cidade de Foz do Iguaçu, no Paraná, os turistas podem curtir o famoso Parque Nacional. Existem diversos acessos a cadeirantes e pessoas com mobilidade reduzida que levam ao maior fluxo de água das cataratas. 

Também dá para contemplar de cima a beleza do local ao saltar de paraquedas. É assim que, com equidade, todos podem conhecer a fronteira do Brasil com o Paraguai e a Argentina.

6. Rio de Janeiro

Paisagem do Rio de Janeiro

Rio de Janeiro, Rio de Janeiro

Especialmente depois das paralimpíadas, o Rio de Janeiro se tornou uma das cidades mais acessíveis do Brasil e do mundo. 

O preparo da cidade maravilhosa vai desde o aeroporto até os pontos turísticos e meios de hospedagem. 

O Pão de Açúcar, as praias e o Museu do Amanhã são referências tanto de estrutura adaptada quanto de sinalização e comunicação.

7. Salvador

Subida do Pelourinho, prédios coloridos no fim da tarde

Salvador, Bahia

As cidades históricas podem ser desafiadoras para pessoas com deficiência. As ladeiras e ruas de pedra são pouco inclusivas e de difícil acesso, mas Salvador mostra que há maneiras para adaptar as visitas.

As calçadas são amplas e há muitas rampas. Além disso, o caminho ao Pelourinho fica à disposição de todos, inclusive dos que precisam de vias adaptadas. 

Outro ponto turístico é o Museu de Arte Sacra, com amplos corredores e elevadores.

8. São Paulo

Na maior cidade brasileira, apesar de muitos problemas, há acessibilidade aos visitantes em muitos dos principais pontos turísticos. 

Escultura de uma mão em frente a um prédio oval e branco

Memorial da América Latina, São Paulo

O Memorial da América Latina tem obras de artes que permitem a leitura com as mãos. Já no Museu do Futebol, os deficientes visuais podem apreciar o acervo com maquetes táteis. Há também audioguias e imagens em relevo.

9. Socorro

Cachoeira durante o dia

Socorro, São Paulo

A cidade do interior de São Paulo mostra que a aventura também não tem limites e deve ser acessível a todos. 

Atividades como rafting, rapel, canionismo, tirolesas, passeios por grutas e banhos de cachoeira foram completamente adaptadas para receber pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, tornando-se exemplo para o restante do país.

 

10. Uberlândia

Prédio cilíndrico, árvores durante o dia

Uberlândia, Minas Gerais

Em 2010, a cidade mineira foi considerada pela ONU (Organização das Nações Unidas) um dos 100 destinos de inclusão. 

Para se ter uma ideia, existe uma lei local que define que todas as obras de uso público devem ser vistoriadas pelo Departamento de Acessibilidade. 

Ao passear pela região, pessoas cadeirantes têm suas condições respeitadas devido às rampas de acesso, às calçadas e ao transporte público adaptado. Vale a pena visitar e levar para casa os produtos mineiros do Mercado Municipal e apreciar museus.

 

Cidades para turismo acessível no exterior

11. Barcelona, Espanha

Ruas antigas e prédios medievais com mesas na calçada

Barcelona, Espanha

Ao decidir viajar para Barcelona, na Espanha, você já vê uma grande acessibilidade desde a chegada no aeroporto. 

O serviço “Sem Barreiras” oferece atendimento individualizado para os que possuem deficiência ou movimentos limitados.

Já no Museu de Arte Contemporânea, os visitantes com falta de visão utilizam descrição em áudio e obras táteis. Banheiros adaptados, peças em braille e rampas são outros recursos disponíveis.

12. Buenos Aires, Argentina

Prédio rosa durante o dia

Casa Rosada, Buenos Aires, Argentina

Buenos Aires é uma das principais referências quando falamos de turismo acessível na América Latina. 

Todo mundo pode passear pelo Caminito, visitar a Casa Rosada e conhecer alguns dos pontos mais famosos do continente sem se preocupar 

As calçadas são amplas e as rampas estão espalhadas por toda a cidade. O transporte público também é bastante acessível e adaptado para pessoas com deficiência. 

Nos pontos turísticos e eventos é possível agendar visitas guiadas e adaptadas para pessoas com deficiência com antecedência.

13. Cidade do Cabo, África do Sul

Prédios coloridos e céu azul

Cidade do Cabo, África do Sul

A representante africana tem diversas atrações turísticas acessíveis, incluindo parques nacionais, praias, museus e lugares históricos. 

O transporte público é acessível a cadeiras de rodas e as ruas são de fácil locomoção. Visitar as casas coloridas em Bo-Kaap ou comer nos restaurantes de Woodstock é possível para todos, incluindo as pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

14. Dublin, Irlanda

Mulher observando obras de arte

Galeria Nacional Irlandesa, Dublin, Irlanda

A capital da Irlanda, Dublin, é um excelente destino para turismo acessível. Com grande infraestrutura, os cadeirantes podem se locomover em avenidas amplas e fazer a travessia segura nas vias. 

Um dos pontos mais procurados é a Galeria Nacional Irlandesa, inclusiva para todos os visitantes.

15. Hong Kong, China

Templo chinês, ponte vermelha e céu azul

Hong Kong, China

Considerado um dos destinos mais acessível da Ásia, Hong Kong possui moderno e adaptado sistema de transporte público, calçadas amplas e com rampas, além de um número crescente de hotéis com quartos acessíveis. A maioria das atrações turísticas de Hong Kong são acessíveis e inclusivas.

16. Las Vegas, Estados Unidos

Placa luminosa no fim da tarde

Las Vegas, Estados Unidos

Que tal conhecer a cidade movimentada por cassinos e shows? Las Vegas merece destaque por fazer parte da jogatina e inclusão de todos os turistas. 

A vida noturna, hotéis e estabelecimentos de entretenimento são, em sua maioria, adaptados. Rampas, elevadores e demais recursos estão disponíveis por todo lugar.

    17. Londres, Inglaterra

    Dois ônibus vermelhos na rua do big ben durante o dia

    Londres, Reino Unido

    A capital inglesa, apesar de ser uma cidade histórica e muito antiga, soube se modernizar para oferecer acessibilidade. 

    Sem deixar para trás o charme dos tempos antigos, as vias públicas e transportes foram adaptados para que todos os moradores e turistas pudessem circular de forma segura. 

    Outros pontos importantes, como London Eye, London Tower e Catedral de St. Paul, também são de fácil acesso aos visitantes com deficiência ou mobilidade reduzida. 

    18. Montréal, Canadá

    Vista aérea de Montreal

    Montreal, Canadá

    Com parques, catedrais e jardins botânicos, a cidade canadense dispõe de completa infraestrutura inclusiva. Por lá, a pessoa com deficiência ou mobilidade reduzida encontra um sistema ferroviário completo em acessibilidade.

      19. Nova York, Estados Unidos

      Estátua da Liberdade

      Nova York, Estados Unidos

      Se você é um entre muitos viajantes que desejam conhecer bem de perto a maior cidade do mundo, mas tem medo da fama de cidade caótica e acha que não será acessível, não se preocupe.

      A metrópole estadunidense oferece serviços especializados no transporte público, museus e demais pontos de atrações. Os espaços públicos dispõem de calçadas planas, sinalização tátil, cadeiras de rodas e audiodescrição.

      20. Seattle, Estados Unidos

      Vista panôramica da torre de Seattle com montanha nevada ao fundo

      Seattle, Estados Unidos

      Eleita por diversos especialistas a cidade mais acessível dos Estados Unidos, a cidade de Seattle destaca-se por estar inserida nos padrões de acessibilidade. 

      O centro urbanístico é todo adaptado: restaurantes, bares e transporte urbano. É possível se deslocar de maneira segura e com total autonomia pelos pontos turísticos.

        21. Seul, Coréia do Sul

        um homem e uma mulher caminhando de mãos dadas sob árvores cerejeiras

        Seul, Coréia do Sul

        Com o crescimento econômico da Coreia do Sul, Seul passou por um processo grande de desenvolvimento e não esqueceu da acessibilidade durante as obras. 

        As principais atrações turísticas são acessíveis para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. Além disso, é fácil encontrar meios de hospedagem adaptados e atendimento adequado.

          Agora que você conheceu um pouco mais sobre o turismo acessível, garanta o seu próximo destino com inclusão! Na MaxMilhas, você não encontra barreiras para ter as passagens aéreas mais baratas e também negociar suas hospedagens com muito desconto.

          Deixe um Comentário